RadarPB - Notícias de Triunfo - PB

  • contato@radarpb.com.br
  • (83) 9 9952-1219 / (83) 9 9631-7511

Ricardo Coutinho chama PEC de Cássio de ‘esquizofrenia política’

15 set 2017

O governador Ricardo Coutinho (PMDB) afirmou, nesta quinta-feira (14), que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC), do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que cria as polícias penitenciárias federal, estaduais e distrital , é resultado de uma ‘esquizofrenia política’, pois cria mais despesas para os Estados. O Senado aprovou por unanimidade a proposta, nesta quarta-feira (13).

“Você tem agentes penitenciários que já fazem esse papel. O legislativo cria aparatos que não são para a União, mas para os Estados, é uma esquizofrenia política, joga nas costas pois acham que os Estados são um saco sem fundo. Criam tudo sem prover a fonte de financiamento, quando lá em cima só se cria despesas, sem indicar de onde vem o dinheiro, ninguém pode fazer pauta bomba desse jeito”, disse o governador.

Ricardo comentou também o convite que recebeu do senador José Maranhão (PMDB) para a comemoração do seu aniversário, nesta sexta-feira (15), na Capital paraibana. Coutinho revelou que teria agenda no interior nesta sexta, mas pode comparecer caso ela não seja efetivada.

“Na verdade fui convidado, agora tenho agenda fora, se eu não cumprir irei. Mas não vamos sufocar o PMDB nem eles o PSB, é preciso ter tranquilidade, aniversário é aniversário, vai chegar um momento, pois temos mais convergência que divergência e não ultrapassamos o limite ético da discordância. Existe reconhecimento mútuo que nós fizemos, já por outro lado tem outra parte que sofre de inanição administrativa”, declarou.

Coutinho ainda defendeu novamente o direito de Maranhão pleitear a candidatura própria do PMDB em 2018, mas cravou que o PSB é protagonista e pensa no seu projeto para o Estado.

“É um direito de Maranhão, que goste ou não, sempre respeitei, quem sou eu para opinar se ele pode ir ou não. Agora é nosso direito pensar macro, pensar esse projeto de gestão, não podemos voltar para um governo patrimonial, atrasado. Garanto que o PSB deve ser candidato, pois é partido preponente, comandante, isso não impede que outras forças politica se coloquem”, concluiu.

WSCOM