RadarPB - Notícias de Triunfo - PB

  • contato@radarpb.com.br
  • (83) 9 9952-1219 / (83) 9 9631-7511

Campanha de Vacinação contra o Sarampo faz ‘Dia D’ neste sábado

30 nov 2019

D R T . R J .15855 Ivomar Gomes Pereira.

As secretarias municipais de Saúde vão promover neste sábado (30) o ‘Dia D’ da Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo. A segunda fase da campanha teve início no dia 18 de novembro e é destinada a adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos, mas o município estenderá para adultos de até 49 anos.

Dados

Segundo boletim epidemiológico do Ministério da Saúde (MS), em 2019 foram notificados 53.761 casos suspeitos de sarampo. Destes, foram confirmados 11.896 (22,1%) casos, sendo 9.300 (79,0%) por critério laboratorial e 2.596 (21,0%) por critério clínico epidemiológico. Foram descartados 22.089 (41,1%) casos e permanecem em investigação 19.776 (36,8%).

Em João Pessoa houve casos de sarampo nos anos de 2010, 2013 e 2019. Em 2010 foram 50 casos confirmados e, em 2013, seis casos da doença. Já em 2019 foram notificados 97 casos suspeitos, com 18 confirmados, 55 descartados com amostras positivas no Laboratório Central de Saúde Pública da Paraíba e Laboratório de referência nacional – FIOCRUZ).

Também devem tomar a vacina:

As crianças de seis meses a 11 meses devem tomar a chamada ‘dose zero’. Com 12 meses a criança irá tomar a tríplice viral e com 15 meses a tetra viral. Crianças menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias), terão o cartão de vacinas atualizado e será ofertada a vacina conforme situação encontrada. Caso a pessoa comprove as duas doses, não é necessário tomar nenhuma a mais, já sendo considerada imunizada.

“Menores de 30 devem comprovar duas doses da vacina com componente do sarampo e, na faixa etária de 30 a 49 anos, a comprovação de uma dose. Se o usuário for profissional de saúde, independente da idade, deve ter duas doses da vacina”, ressaltou Fernando Virgolino.

Sarampo

Os sintomas iniciais de sarampo são febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza, congestão nasal e mal-estar intenso. Após estes sintomas, há o aparecimento de manchas avermelhadas no rosto, que progridem em direção aos pés, com duração mínima de três dias. São comuns lesões muito dolorosas na boca.

A doença pode ser grave, com acometimento do sistema nervoso central e pode complicar com infecções secundárias como pneumonia, podendo levar à morte. As complicações atingem mais gravemente os desnutridos, os recém-nascidos, as gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

Portal Correio