RadarPB - Notícias de Triunfo - PB

  • contato@radarpb.com.br
  • (83) 9 9952-1219 / (83) 9 9631-7511

Blogueiro mostra condições para João Pessoa e CG decidir eleição de 2018

14 fev 2018

O Blog de Walter Santos mostra nesta terça-feira (13), as condições para João Pessoa e Campina Grande decidirem a eleição de 2018. “Além de tudo, ninguém pode deixar de levar em conta a capacidade política de Ricardo se mantendo ou não no Poder”.

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, saiu bravejando em pleno início de Carnaval que a união dele com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, a ser anunciada nos próximos dias selando o acordo entre PSDB e PSD tendo o pessedista na cabeça – de – chapa para o governo, por si só garante a vitória deles.

A tese intui este raciocínio lógico pelos últimos resultados, mas pela condição apressada se faz necessário admitir que, a dados de 2018, vai exigir muitos mais valores na composição final do resultado, porque existem diversos outros fatores a se considerar.

UNIDADE DE ALIANÇA VS SALDO GIRASSOL

O primeiro dado importante a considerar é que, em 2018, não haverá a repetição da unidade vitoriosa de 2016 envolvendo PSD – PSDB – MDB.

Todos sabem ainda que o senador José Maranhão será candidato e esta condição enfraquece a Aliança porque, no minimo, leva a parada para o segundo turno, hoje com o candidato emedebista fazendo restrições ao pré-candidato Luciano Cartaxo.

E isto é ruim para as pretensões Cartaxistas.

Se tudo isto é verdadeiro, e é, há de se considerar ainda o fator Ricardo Coutinho – personagem que, mesmo perdendo as duas últimas eleições, se mantém com grande cacife na Capital tendo 72% de aprovação na cidade.

E em 2018 , certamente que ele voltará a exercer influência pelo saldo de Governo, ou seja, as pesquisas futuras podem levar seu candidato João Azevedo a patamares em pesquisas muito acima de 34% . E isto lhe credencia para o segundo turno.

Além de tudo, ninguém pode deixar de levar em conta a capacidade política de Ricardo se mantendo ou não no Poder. A elite, não, mas a classe média e o povão lhe aprovam.

Detalhe: o governador tem acima de 72% de aprovação de Cabedelo a Cajazeiras, segundo todas as pesquisas.

A FORÇA LUCIANO

Não se pode também ignorar que Luciano Cartaxo é o nome da Oposição mais bem avaliado nas pesquisas, daí estar mais cacifado entre os Opositores a disputar a cabeça. Ignorar isso é brigar com a realidade.

Agora, fora do Governo municipal ele é outra coisa, mesmo tendo Manoel Junior agindo em seu favor e não pró José Maranhão, mas nesta condição de rejeitado pelo companheiro de partido, Maranhão vai dar o troco mais na frente. E isto é fatal.

Luciano precisará ainda percorrer o Estado inteiro com Cássio ao lado porque, apesar da reeleição e poderio ampliado, ele não é conhecido em dezenas de cidades.

Será que Cássio vai transferir como transferiu para Ricardo em 2010?

FATOR CAMPINA

De fato, Romero está bem avaliado em Campina, mas não terá condições de ser majoritário acachapante porque a cidade está dividida e a força de Veneziano é representativa, sobretudo se for candidato ao Senado.

Na prática, com esta realidade qualquer redução na márgem de votos de Luciano em Campina, isto favorece a João Azevedo.

Sem contar que, diferentemente de outros governadores naturais de João Pessoa no exercício de Governo, Ricardo tem crescido de Aprovação na cidade como nenhum outro teve por ter obras a mostrar.

Esta é a realidade nua e crua. Gostem ou não.

EM TEMPO

O fator Lula e Temer vai repercutir, sim, em favor do candidato apoiado pelo petista.

É deste Caldeirão que tudo se definirá. 

Da Redação