RadarPB - Notícias de Triunfo - PB

  • contato@radarpb.com.br
  • (83) 9 9952-1219 / (83) 9 9631-7511

Anvisa divulga lista de nove agrotóxicos que políticos desejam legalizar

29 jun 2018

O impacto que pode provocar a eventual aprovação do projeto de lei que busca incluir agrotóxicos comprovadamente nocivos e proibidos em vários países, será de um dano inestimável para o meio ambiente e sociedade, segundo a própria Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Potencial cancerígeno, desregulação dos hormônios, ativação de mutações e danos ao aparelho reprodutor são problemas provocados pelos nove agrotóxicos atualmente proibidos pela Anvisa, e que a bancada ruralista do Congresso brasileiro pretende legalizar.

O órgão divulgou a lista com os efeitos e os nomes desses produtos para apontar o impacto que pode provocar uma eventual aprovação deste projeto de lei que busca flexibilizar a Lei dos Agrotóxicos, já aprovado por uma comissão especial formada exclusivamente por parlamentares financiados pelo agronegócio.

Os agrotóxicos que o congresso pretende legalizar atingem os principais alimentos que estão nas mesas dos brasileiros. Veja:

1) Endossulfam: utilizado em cacau, algodão, cana de açúcar, café, soja, etc. A Anvisa proibiu o uso após comprovar que a substância é tóxica ao sistema neurológico, ao sistema imune, à reprodução e desregula hormônios. Não existe nenhuma avaliação que indique uma dose segura deste veneno.

2) Cihexatina: utilizado em maçã, morango, pêssego, café e berinjela. Proibido após comprovação de toxicidade aguda. Pode desencadear problemas de visão e é tóxica à reprodução e ao desenvolvimento. Produto considerado inaceitável em seis países.

3) Tricloform: utilizado em algodão, feijão, abacaxi, alface, abóbora, amendoim, arroz, banana, brócolis, couve-flor, figo, goiaba, maçã, manga melancia, melão, tomate, trigo, pepino, pimentão, repolho, etc. Proibido por ser tóxica para genes, para o sistema neurológico e para o sistema imune. Danos neurológicos em humanos maiores do que demonstrados em animais. Nenhuma avaliação de risco ou dosagem segura.

4) Monocrotofós: utilizado em Amendoim, batata, feijão, etc. Anvisa proibiu após ausência de dossiê toxicológico que suporte o registro do produto.

5) Pentaclorofenol: Tratamento de madeiras recém-cortadas para combater fungos que causam manchas. Proibida por ser Tóxica ao fígado, aos rins, desregula hormônios e fica muito tempo no meio ambiente.

6) Lindano: usado na preservação de madeiras compensadas em serradas. Apresenta potencial cancerígeno, é tóxica ao fígado, aos rins e fica muito tempo no meio ambiente.

7) Metamidofós: usada em algodão, amendoim, batata, feijão, soja, tomate para uso industrial e trigo. Tóxica ao sistema imune, ao sistema neurológico, à reprodução e desregula hormônios.

8) Parationa Metílica: usada em algodão, alho, arroz, batata, cebola, feijão, milho, soja e trigo. Tóxica ao sistema imune, ao sistema neurológico, desregula hormônios, pode levar a mutações e é tóxica à reprodução. Danos neurológicos em humanos maiores do que os demonstrados em animais.

9) Procloraz: usada em Tomate, cebola, cenoura, melancia, etc. Provoca distúrbios hormonais e danos ao aparelho reprodutor.

(DOL)